Introdução a Administração Compacta - Djalma Pinho

November 7, 2018 | Author: Vitor Azevedo | Category: Human Resource Management, Self-Improvement, Motivation, Planning, Leadership
Share Embed Donate


Short Description

Intro a Administração - Edição Compacta...

Description

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

1

MANUAL DO PROFESSOR - CONTEÚDO BÁSICO -

• Abordagem do livro. • Estrutura do livro. • Estrutura e conteúdo dos capítulos. • Proposta de programa da disciplina “Introdução à Administração”, considerando aulas com carga dupla. • Aplicação do livro: – Conteúdo de cada capítulo: • Interligações com os outros capítulos do livro. • Interligações com outras disciplinas do curso. – Questões para debate. • Por capítulo: telas básicas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

2

ABORDAGEM DO LIVRO • Elevada amplitude de análise dos assuntos abordados, propiciando: – amplo debate das contribuições dos diversos assuntos administrativos das empresas; e – perfeita interligação entre esses assuntos administrativos.

• Alocação das diversas contribuições das funções da administração e das funções das empresas para a realidade atual das empresas e analisando possíveis tendências evolutivas da administração.

• Forte abordagem prática, propiciando elevados níveis de motivação e de aprendizado dos participantes do curso.

• Alocação do assunto “Introdução à Administração” em um novo e amplo contexto. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

3

ESTRUTURA DO LIVRO

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

4

CAPÍTULO 1 – APLICAÇÃO DO CONTEÚDO – 1 – TÍTULO DO CAPÍTULO: Origens, teorias e tendências da administração. 2 – FOCO BÁSICO DO CAPÍTULO: Apresentar para o leitor toda a base de sustentação para o adequado estudo da administração, incluindo as suas finalidades para as empresas, as suas origens e tendências, bem como o resumo de todas as teorias que contribuiram para o desenvolvimento da administração. 3 – INTERAÇÕES COM OS OUTROS CAPÍTULOS: É elevada, pois propicia a essência dos conhecimentos básicos necessários para o adequado estudo da administração das empresas em geral. 4 – INTERAÇÕES COM OUTRAS (POSSÍVEIS) DISCIPLINAS DO CURSO: Podem ser consideradas: – História da administração. – Evolução do pensamento administrativo. – Teoria geral da administração. – Fundamentos da administração.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

5

CAPÍTULO 2 – APLICAÇÃO DO CONTEÚDO – 1 – TÍTULO DO CAPÍTULO: Funções da administração. 2 – FOCO BÁSICO DO CAPÍTULO: Apresentação das funções básicas da administração, abordando as suas origens, partes integrantes, bem como as suas aplicações pelas empresas. 3 – INTERAÇÕES COM OS OUTROS CAPÍTULOS: Ele é decorrente do Capítulo 1 e influencia os capítulos seguintes, principalmente o Capítulo 3. 4 – INTERAÇÕES COM OUTRAS (POSSÍVEIS) DISCIPLINAS DO CURSO: Podem ser consideradas: – Planejamento nas empresas. – Administração de pessoas. – Planejamento estratégico. – Processo diretivo e decisório. – Organização e métodos. – Indicadores de desempenho. – Estrutura organizacional. – Modelos de gestão. – Administração de processos.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

6

CAPÍTULO 3 – APLICAÇÃO DO CONTEÚDO – 1 – TÍTULO DO CAPÍTULO: Funções das empresas. 2 – FOCO BÁSICO DO CAPÍTULO: Aborda as principais funções das empresas, evidenciando as suas origens, as suas partes integrantes, bem como a sua aplicação prática pelas empresas. 3 – INTERAÇÕES COM OS OUTROS CAPÍTULOS: É elevada com todos os capítulos do livro, principalmente com o Capítulo 2. 4 – INTERAÇÕES COM OUTRAS (POSSÍVEIS) DISCIPLINAS DO CURSO: Podem ser consideradas: – Administração de marketing. – Contabilidade. – Plano de marketing. – Gestão financeira. – Planejamento e controle da produção. – Administração de processos. – Desenvolvimento de pessoas. – Tecnologia da informação. – Controladoria. – Sistemas de informações gerenciais.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

7

CAPÍTULO 4 – APLICAÇÃO DO CONTEÚDO – 1 – TÍTULO DO CAPÍTULO: Atuação do profissional de administração. 2 – FOCO BÁSICO DO CAPÍTULO: Apresentar todos os aspectos básicos que consolidam a adequada atuação do profissional de administração nas empresas. Pode representar o início da elaboração do plano de carreira do leitor. 3 – INTERAÇÕES COM OS OUTROS CAPÍTULOS: É elevada, pois é decorrente do conteúdo dos três capítulos anteriores. 4 – INTERAÇÕES COM OUTRAS (POSSÍVEIS) DISCIPLINAS DO CURSO: Podem ser consideradas: – Plano de carreira. – Atuação profissional.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

8

QUESTÕES DOS CAPÍTULOS – ANÁLISE E DEBATE – AO FINAL DE CADA CAPÍTULO SÃO APRESENTADAS QUESTÕES PARA ANÁLISE E DEBATE. CONSIDERA-SE COMO IDEAL: 1º) Formação de equipes de trabalho com ± 7 participantes. 2º) Entendimento do conteúdo e da abrangência de cada questão: 3 min. por questão. Obs.: O ideal é a análise prévia por cada participante do curso ou do programa de treinamento. 3º) Preparação resumida das respostas às questões: 7 min. por questão. 4º) Escolha da equipe apresentadora de cada questão. 5º) Apresentação e debate da resposta da questão: 5 min. por questão. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

9

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO – PROGRAMA DA DISCIPLINA – (1/2) AULA

DATA

CONTEÚDO BÁSICO

TELAS DE APRESENTAÇÃ O

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Leituras prévias)

1

• Apresentação da disciplina. • Debate das expectativas dos participantes do curso. • Formação das equipes de trabalho. • Definição dos trabalhos. • Explicação do desenvolvimento e debate dos casos. • Explicação da abordagem prática da disciplina. • Explicação da interligação com outras disciplinas do curso. • Processo de avaliação. • Debate de experiências dos participantes do curso.

1/13

2

• Finalidades da administração. • Origens. • Teorias (parte).

14/48

Capítulo 1 seções 1.1, 1.2, 1.3 e 1.4 (parte)

3

• Teorias (parte). • Tendências. • Debate das questões.

49/72

Capítulo 1 seções 1.4 (parte) e 1.5

4

• Funções da administração. • Planejamento. • Organização.

73/94

Capítulo 2 seções 2.1, 2.2 e 2.3

5

• Gestão de pessoas. • Direção. • Avaliação. • Debate das questões.

95/112

Capítulo 2 seções 2.4, 2.5 e 2.6

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

10

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO – PROGRAMA DA DISCIPLINA – (2/2) AULA

DATA

CONTEÚDO BÁSICO

TELAS DE APRESENTAÇÃ O

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Leituras prévias)

6

• Funções das empresas. • Marketing. • Produção.

113/126

Capítulo 3 seções 3.1, 3.2 e 3.3

7

• Desenvolvimento de pessoas. • Finanças. • Processos e tecnologia. • Debate das questões.

127/145

Capítulo 3 seções 3.4, 3.5 e 3.6

8

• Atuação do administrador. • Origens. • Responsabilidade. • Perfil.

146/150

Capítulo 4 seções 4.1, 4.2, 4.3 e 4.4

9

• Conhecimentos. • Habilidades. • Tendências da atuação. • Debate das questões.

151/154

Capítulo 4 Seções 4.5, 4.6 e 4.7

10

• Complementar. • Revisão geral. • Debate de dúvidas.

11

• Prova final.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

11

COMO TORNAR PRÁTICO O CONTEÚDO DE “INTRODUÇAO À ADMINISTRAÇÃO” Lembrar aos participantes do curso que: a) Todos os instrumentos, metodologias e técnicas administrativas surgiram – de forma direta ou indireta – das diversas teorias de administração, bem como da análise das funções da administração e das funções das empresas. b) A quase totalidade dos ensinamentos de administração surgiram a partir de realizações específicas em empresas. Ou seja, os laboratórios de pesquisas em administração são as próprias empresas. c) As adaptações e aprimoramentos das práticas administrativas foram realizadas com base em observações nas atividades das empresas. d) Os profissionais – executivos e funcionários – das empresas são, muitas vezes sem conhecimento desta situação, os principais catalisadores das evoluções administrativas nas empresas. e) O foco do conhecimento administrativo está nas pessoas, quer sejam profissionais de empresas ou professores de faculdades e de cursos profissionalizantes. f) A essência da evolução sustentada, gradativa, evolutiva e acumulativa da administração é o trabalho conjunto e interativo dos executivos das empresas e dos professores. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

12

ESTRUTURA DO LIVRO

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

13

CAPÍTULO 1

ORIGENS, TEORIAS E TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

14

ADMINISTRADOR – AMPLITUDE DO CONCEITO –

– Para formados ou não em cursos de administração.

– Básico: prática da administração.

– Sustentação: conhecimento dos conceitos e das metodologias e técnicas administrativas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

15

ADMINISTRAÇÃO – CONCEITO – SISTEMA ESTRUTURADO E INTUITIVO QUE CONSOLIDA UM CONJUNTO DE PRINCÍPIOS, PROCESSOS E FUNÇÕES PARA ALAVANCAR, HARMONIOSAMENTE, O PROCESSO DE PLANEJAMENTO DE SITUAÇÕES FUTURAS DESEJADAS E SEU POSTERIOR CONTROLE E AVALIAÇÃO DE EFICIÊNCIA, EFICÁCIA E EFETIVIDADE, BEM COMO A ORGANIZAÇÃO E A DIREÇÃO DOS RECURSOS ALOCADOS NAS ÁREAS FUNCIONAIS DAS EMPRESAS, ORIENTADOS PARA OS RESULTADOS ESPERADOS, COM A MINIMIZAÇÃO DOS CONFLITOS INTERPESSOAIS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

16

ADMINISTRAÇÃO – FINALIDADES BÁSICAS – – Consolidar mecanismos que sustentem e facilitem o processo dos profissionais das empresas pensarem e agirem de forma otimizada. – Facilitar e proporcionar maior qualidade ao processo decisório e de estabelecimento de prioridades. – Identificar “quem é quem” na empresa. – Estruturar o desenvolvimento de novos negócios, bem como consolidar vantagens competitivas para os negócios atuais e futuros das empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

17

ABORDAGENS DA ADMINISTRAÇÃO

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

18

PRINCÍPIOS GERAIS PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO • Ter equilíbrio entre a teoria e a prática. • Estar correlacionada ao estilo de atuação e ao nível de conhecimento das pessoas. • Estar sustentada por modernas metodologias e técnicas. • Ter aplicação e abrangência universais. • Ser uma tecnologia em constante evolução • Permitir generalizações e particularizações. • Ter abordagem de relatividade. • Considerar toda a empresa. • Saber que o foco são as pessoas. • Ser um processo dinâmico e social. • Catalizar e disseminar conhecimentos, ideias e aprendizados. • Ser ativa, criativa e complexa. • Ser coordenada, abrangente e interativa. • Ser avaliável. • Ter eficiência, eficácia e efetividade. • Ter profissionais com capacitação, habilidade e inteligência. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

19

ORIGENS DA ADMINISTRAÇÃO – (1/2) – PRINCIPAIS EVENTOS – Período/ano

Local

Evento administrativo

2800 a.C.

Mesopotâmia (atual Iraque e terras próximas)

• Estabelecimento das atividades das empresas em geral. • Estruturação inicial do controle das atividades.

2600 a.C.

Egito

• Estruturação inicial das funções de planejamento, organização e controle (na construção das pirâmides).

2500 a.C.

China

• Descentralização do poder (com a utilização de assessores).

1900 a.C.

Babilônia (cidade da antiga Mesopotâmia)

• Estabelecimento das operações de um processo administrativo. • Estabelecimento do valor mínimo de remuneração pelas atividades desenvolvidas. • Maior ênfase nas responsabilidades das pessoas.

1500 a.C.

Israel

• Aplicação da estrutura hierárquica.

800 a.C.

Itália

• Início da estruturação das instituições administrativas, pelo império romano.

400 a.C.

Grécia

• Início dos estudos formais de administração.

400 a.C.

China

• Primeiros estudos de estratégia e do comportamento administrativo nas empresas (Sun-Tzu).

300 a.C.

Itália (Roma)

• Exército é o modelo administrativo para as empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

20

ORIGENS DA ADMINISTRAÇÃO – (2/2) – PRINCIPAIS EVENTOS – Período/ano

Local

Evento administrativo

1500

Itália (Roma)

• Estudos da atuação de líderes. • Trabalhos em equipes.

1776

Escócia

• Estudos da especialização do trabalho (Adam Smith). • Estudos mais avançados sobre controle e remuneração.

1800

Inglaterra

• Início de várias inovações na administração: incentivos, bonificações, festas de Natal, métodos de trabalho, seguro de vida e de atividades operacionais nas empresas.

1810

Escócia

• Início de aplicação de práticas mais inovadoras de gestão de pessoas (Robert Owen).

1810

França

• Início da participação dos funcionários nos resultados das empresas.

1820

Inglaterra

• Constituição dos primeiros sindicatos de trabalhadores.

1832

Inglaterra

• Princípios da abordagem científica no estudo e na prática da administração nas empresas (Charles Babbage).

1881

EUA

• Fundação do primeiro curso de administração (Universidade da Pensilvânia) (Joseph Warthon).

1900

EUA

• Início do movimento da teoria da administração científica.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

21

CONCEITOS 1 – Teoria Geral da Administração: Conjunto de princípios e conhecimentos disseminados e comuns à prática administrativa quanto às atividades de planejamento, organização, direção, avaliação e de melhor interação entre os profissionais envolvidos, propiciando otimização dos resultados das empresas. 2 – Escola da Administração: Consolidação da concepção técnica e de conhecimentos inerentes a um conjunto de assuntos administrativos homogêneos, decorrentes da influência de uma ou mais teorias da administração. 3 – Teoria da Administração: Conjunto de princípios e conhecimentos disseminados e comuns à prática administrativa, dentro de uma abordagem específica, quanto às atividades e funções administrativas desempenhadas pelas empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

22

ESCOLAS E TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO – ESTRUTURA EVOLUTIVA E INTERATIVA – Escola Clássica – Teoria da Administração Científica – Teoria do Processo Administrativo

Escola Burocrática – Teoria da Burocracia

Escola Humanista – Teoria das Relações Humanas

Escola Sistêmica – Teoria de Sistemas

Escola Quantitativa – Teoria Matemática

– Teoria Comportamentalista

Escola Contingencial

Escola Moderna

– Teoria da Administração por Objetivos

– Teoria da Administração por Processos

– Teoria da Contingência

– Teoria da Excelência Administrativa

– Teoria Estruturalista – Teoria do Desenvolvimento Organizacional

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

23

ESCOLA CLÁSSICA – RAZÕES DO SURGIMENTO –

– Aumento da complexidade da administração das empresas.

– Busca do maior rendimento possível proporcionado pelos recursos das empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

24

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – Maior eficiência nos processos produtivos. – Não implicou, na maior parte das vezes, em maior carga horária e em piores condições de trabalho. – Contribuiu para a evolução das comunidades. – Estruturação dos objetivos a serem alcançados e dos resultados efetivos. – Estruturação e aplicação dos princípios da administração. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

25

INSTRUMENTO ADMINISTRATIVO – CONCEITO –

METODOLOGIA OU TÉCNICA ESTRUTURADA QUE AS TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO PROPORCIONAM PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO DE ADMINISTRAÇÃO E DA QUALIDADE DECISÓRIA NAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

26

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – Estruturação da especialização dos trabalhos.

2 – Análise da produção em massa.

3 – Estudo dos tempos e métodos.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

27

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – Elevado enfoque na estruturação e execução, esquecendo as questões humanas. – Maior nível de ansiedade ocupacional. – Desqualificação de tarefas criativas, especializadas e complexas. – Inadequada interação entre produtividade e motivação. – Considerar salário como principal fator de motivação. – Bom funcionário = profissional especializado. – Aumento das tensões pessoais e sociais. – Esquecimento de que o indivíduo é um ser humano, social e inteligente. – Não considera os aspectos informais e os aspectos externos das empresas. – Apresenta desequilíbrio no tratamento das várias atividades das empresas. – Não considera as interações entre os diferentes fatores de influência da administração. – Emaranhado de idéias sem sustentação conceitual e prática. – Não apresenta comprovação científica. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

28

TEORIA DO PROCESSO ADMINISTRATIVO – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO –

– Estabelecimento das funções que as empresas devem desempenhar. – Identificação das responsabilidades básicas dos administradores das empresas. – Estabelecimento dos princípios de administração que as empresas devem respeitar.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

29

TEORIA DO PROCESSO ADMINISTRATIVO – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – Estruturação das funções da administração. 2 – Estruturação das funções das empresas. 3 – Estudo do papel e da atuação dos executivos. 4 – Maneiras de estruturar as empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

30

TEORIA DO PROCESSO ADMINISTRATIVO – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – Apresenta elevada abordagem simplista. – Não apresenta flexibilidade adequada. – Apresenta elevado nível de mecanicismo em suas orientações administrativas. – Apresenta inadequado tratamento das questões pessoais. – Apresenta baixo rigor científico. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

31

ESCOLA BUROCRÁTICA – RAZÕES DO SURGIMENTO –

– Busca da racionalidade e da igualdade no tratamento dos funcionários das diversas empresas. – Abordagem mais ampla do estudo da administração. – Análise dos tipos de relacionamentos humanos, na busca de maior produtividade.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

32

TEORIA DA BUROCRACIA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO –

– Definição dos níveis de autoridade decisória e de mando. – Interação entre as atividades/hieraquia versus competência/conhecimento. – Maior análise de questões correlacionadas à estruturação das empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

33

TEORIA DA BUROCRACIA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

– Estruturação formal das empresas. – Estudo da autoridade hierárquica.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

34

TEORIA DA BUROCRACIA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS –

– Dificuldade de adequação das empresas às novas realidades. – Ênfase exagerada nos métodos e procedimentos administrativos. – Proporciona o inchaço das empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

35

ESCOLA HUMANISTA – RAZÕES DO SURGIMENTO – – Críticas à Escola Clássica, acrescidas de estudos resultantes da sociologia e da psicologia. – Adequação da estruturação organizacional às necessidades dos negócios e das equipes de trabalho das empresas. – Consolidação das equipes multidisciplinares de trabalho. – Estudos da influência do nível motivacional na qualidade da administração.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

36

TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – Maior abrangência de participação e de contribuição dos diversos profissionais das empresas. – Melhoria nas comunicações entre todos os níveis hierárquicos. – Reconhecimento da necessidade e da validade dos programas estruturados para maiores níveis de capacitação, conhecimento e habilidade. – Estruturação e aplicação de pesquisas e das ciências do comportamento. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

37

TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – LIDERANÇA. 2 – COMUNICAÇÃO. 3 – CRIATIVIDADE.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

38

TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – LIMITAÇÃO EXAGERADA NO TIPO DE EMPRESA PESQUISADA. – LIMITAÇÃO EXAGERADA NA AMPLITUDE DE ANÁLISE. – LIMITAÇÃO NO TRATAMENTO DAS QUESTÕES E VARIÁVEIS ADMINISTRATIVAS. – EXCESSO DE IMPORTÂNCIA PARA A ATUAÇÃO DAS EQUIPES. – TRATAMENTO DOS INDIVÍDUOS DE MANEIRA INADEQUADA E INCOMPLETA. – O DEBATE E O CONFLITO ERAM CONSIDERADOS NOCIVOS. – NÃO ESTABELECEU A RELAÇÃO DE CAUSA VERSUS EFEITO NOS CONFLITOS. – EXAGERO NA CORRELAÇÃO ENTRE FELICIDADE E PRODUTIVIDADE. – EXAGERO NA IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO NOS NÍVEIS DE PRODUTIVIDADE E DE FELICIDADE. – FALTA DE SUSTENTAÇÃO E VALIDAÇÃO CIENTÍFICA. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

39

TEORIA COMPORTAMENTALISTA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – DESENVOLVIMENTO DA PSICOLOGIA INDUSTRIAL (OU ADMINISTRATIVA OU EMPRESARIAL). – MOVIMENTO DIRECIONADO À QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO. – ESTUDOS FOCADOS NA DINÂMICA DE GRUPO. – CONSOLIDAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DO COMPORTAMENTO HUMANO NAS EMPRESAS. – CONSOLIDAÇÃO DO INDIVÍDUO COMO CATALISADOR DO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÕES. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

40

TEORIA COMPORTAMENTALISTA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS – 1 – CLIMA ORGANIZACIONAL. 2 – ESTILO ADMINISTRATIVO. 3 – PSICOLOGIA EMPRESARIAL. 4 – DINÂMICA DE GRUPO. 5 – ESTUDO DAS NECESSIDADES HUMANAS E DO NÍVEL DE MOTIVAÇÃO. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

41

TEORIA COMPORTAMENTALISTA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS –

– FALTA DE PROFUNDIDADE EM ALGUMAS ANÁLISES. – ANÁLISE INCOMPLETA DOS FATORES DE INFLUÊNCIA DAS NECESSIDADES HUMANAS. – RELATIVA DIFICULDADE DE APLICAÇÃO PRÁTICA DOS ENSINAMENTOS DA TEORIA.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

42

TEORIA ESTRUTURALISTA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – TRATAMENTO INTERATIVO DOS FATORES INTERNOS E EXTERNOS DAS EMPRESAS. – ANÁLISE ESTRUTURADA DAS MUDANÇAS NAS EMPRESAS. – IDENTIFICAÇÃO DE EMPRESAS DE VÁRIOS TIPOS E CARACTERÍSTICAS, GERANDO DIFERENTES TIPOS DE ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. – IDENTIFICAÇÃO DOS CONCEITOS E ABORDAGENS DOS CONFLITOS E DAS INTERAÇÕES ENTRE DIFERENTES GRUPOS E AS SUAS INFLUÊNCIAS NAS REALIDADES DAS EMPRESAS. – IDENTIFICAÇÃO DE PROBLEMAS E NECESSIDADES DE MUDANÇAS SÃO FUNDAMENTAIS PARA MANTER O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

43

TEORIA ESTRUTURALISTA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS – 1 – ESTRUTURA ORGANIZACIONAL FORMAL. 2 – ESTRUTURA ORGANIZACIONAL INFORMAL. 3 – NÍVEIS DAS EMPRESAS. 4 – ESTUDO DO AMBIENTE EMPRESARIAL. 5 – INTERAÇÕES ENTRE EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

44

TEORIA ESTRUTURALISTA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS –

– NÃO É UMA TEORIA ESPECÍFICA DA ADMINISTRAÇÃO. – É UMA TEORIA DE TRANSIÇÃO NO PROCESSO EVOLUTIVO DA ADMINISTRAÇÃO.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

45

TEORIA DO DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – MELHOR CONHECIMENTO DAS PESSOAS QUE TRABALHAM NAS EMPRESAS. – CONHECIMENTO DO EFEITO DAS MUDANÇAS SOBRE AS PESSOAS. – CONHECIMENTO DAS CAUSAS DAS RESISTÊNCIAS ÀS MUDANÇAS. – CONSOLIDAÇÃO DA FUNÇÃO DE AGENTE DE MUDANÇAS. – MELHORIA DA QUALIDADE DO RELACIONAMENTO ENTRE AS PESSOAS QUE TRABALHAM NAS EMPRESAS. – ENTENDIMENTO DE QUE AS MUDANÇAS NAS EMPRESAS SÃO NECESSÁRIAS. – CONHECIMENTO DAS CONDIÇÕES PARA O FRACASSO E O SUCESSO DO DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

46

TEORIA DO DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL. 2 – TÉCNICAS DE INTERVENÇÃO. 3 – EQUIPES MULTIDISCIPLINARES. 4 – CULTURA ORGANIZACIONAL.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

47

TEORIA DO DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – AS CONCLUSÕES DA TEORIA CARECEM DE COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA. – DESCONSIDERA OUTROS IMPORTANTES FATORES DE INFLUÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DAS EMPRESAS. – ALGUMAS CONSIDERAÇÕES JÁ EXISTIAM EM TEORIAS ANTERIORES.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

48

ESCOLA SISTÊMICA – RAZÕES DO SURGIMENTO –

– INTEGRAÇÃO DE TODAS AS ABORDAGENS DA ADMINISTRAÇÃO ATÉ ENTÃO ESTUDADAS. – VISUALIZAÇÃO DAS EMPRESAS NO CONTEXTO ECOLÓGICO. – NECESSIDADE DE MELHOR TRATAMENTO DO TODO E DAS PARTES DAS QUESTÕES ADMINISTRATIVAS DAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

49

TEORIA DE SISTEMAS – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO –

– MAIOR FACILIDADE NO ESTABELECIMENTO DOS OBJETIVOS DAS EMPRESAS. – ANÁLISE ESTRUTURADA DAS EMPRESAS, DE CADA UMA DE SUAS PARTES E DO AMBIENTE EMPRESARIAL.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

50

TEORIA DE SISTEMAS – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – ESTRUTURAÇÃO DE SISTEMAS. 2 – SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. 3 – TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

51

TEORIA DE SISTEMAS – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – DIFICULDADE DE APLICAÇÃO PRÁTICA. – NÃO FAZ DISTINÇÃO ENTRE OS FATORES DE INFLUÊNCIA DO FUNCIONAMENTO DAS EMPRESAS. – EXISTÊNCIA DE INVERDADES QUANTO A ALGUMAS PREMISSAS DE FUNCIONAMENTO DOS SISTEMAS NAS EMPRESAS. – NEM SEMPRE AS EMPRESAS ESTÃO PROCURANDO UM ESTADO DE EQUILÍBRIO. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

52

ESCOLA QUANTITATIVA – RAZÕES DE SURGIMENTO –

– PARA TRATAR DE DECISÕES EM CONTEXTOS COMPLEXOS NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. – PARA OTIMIZAR O PROCESSO DECISÓRIO DAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

53

TEORIA MATEMÁTICA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO –

– MELHORIA DA RAPIDEZ E DA QUALIDADE DAS DECISÕES NAS EMPRESAS.

– MELHORIA DO CONHECIMENTO, DA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E DA HABILIDADE DAS PESSOAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

54

TEORIA MATEMÁTICA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – PESQUISA OPERACIONAL. 2 – INDICADORES DE DESEMPENHO. 3 – ANÁLISE DE RISCO E DE DECISÃO.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

55

TEORIA MATEMÁTICA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – APRESENTA LIMITAÇÕES NAS ANÁLISES DECISÓRIAS E DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. – DIFICULDADE DA APRESENTAÇÃO DAS QUESTÕES DECISÓRIAS DA ADMINISTRAÇÃO EM TERMOS DE ABORDAGENS MATEMÁTICAS. – DIFICULDADE DE IDENTIFICAÇÃO DA MELHOR ABORDAGEM MATEMÁTICA. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

56

ESCOLA CONTINGENCIAL – RAZÕES DO SURGIMENTO –

– IDENTIFICAÇÃO DO RÁPIDO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO QUE AS EMPRESAS DEVEM TER PARA COM AS CONTINGÊNCIAS APRESENTADAS PELO AMBIENTE EMPRESARIAL. – MELHORIA DA QUALIDADE DO PROCESSO DECISÓRIO. – TRATAMENTO DAS QUESTÕES ADMINISTRATIVAS NO CONTEXTO DE “CADA CASO É UM CASO”.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

57

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – ESTRUTURAÇÃO DO PROCESSO NEGOCIAL DE ESTABELECIMENTO DOS RESULTADOS A SEREM ALCANÇADOS PELAS EMPRESAS. – MELHORIA NA EFICÁCIA EMPRESARIAL. – REDUÇÃO DO NÍVEL DE CONFLITOS NAS EMPRESAS. – CONSOLIDAÇÃO DE UMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DINÂMICA E COM AS RESPONSABILIDADES ESTABELECIDAS. – IDENTIFICAÇÃO DE “ONDE E QUANDO” AS MUDANÇAS EMPRESARIAIS SÃO NECESSÁRIAS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

58

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS –

1 – METODOLOGIA DE ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS E METAS. 2 – PLANEJAMENTO TÁTICO. 3 – PLANEJAMENTO OPERACIONAL.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

59

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – NÃO TRABALHA COM OS CONFLITOS ENTRE OS OBJETIVOS DAS PESSOAS E OS OBJETIVOS DAS EMPRESAS. – NÃO ABORDA, ADEQUADAMENTE, OS TRABALHOS REALIZADOS POR EQUIPES. – PRIORIZA AS ATIVIDADES DE CURTO PRAZO. – INCENTIVA UM VIÉS PELO MAIS FÁCIL, PELO MAIS SIMPLES. – DIFICULDADE DE COMPARAR PADRÕES DE DESEMPENHO ENTRE DIFERENTES ÁREAS DE UMA MESMA EMPRESA. – POSSIBILIDADE DE AVALIAÇÕES SUBJETIVAS. – DIFICULDADE EM INTERLIGAR ATIVIDADES DE CARGOS INFERIORES VERSUS CARGOS SUPERIORES. – DIFICULDADE DE CONSOLIDAR TODO O PROCESSO, EM UM ÚNICO MOMENTO, EM TODA A EMPRESA. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

60

TEORIA DA CONTINGÊNCIA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – MAIOR ABRANGÊNCIA NO ESTUDO DOS ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS DAS EMPRESAS. – OBRIGATORIEDADE DO CONHECIMENTO E DO USO DOS ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS DE FORMA INTERLIGADA E GLOBAL. – CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO E CONSOLIDAÇÃO DA ADHOCRACIA NAS EMPRESAS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

61

TEORIA DA CONTINGÊNCIA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS – 1 – ANÁLISE EXTERNA DA EMPRESA. 2 – PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. 3 – ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS. 4 – TÉCNICAS ESTRATÉGICAS. 5 – CENÁRIOS ESTRATÉGICOS. 6 – MODELOS ORGANIZACIONAIS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

62

TEORIA DA CONTINGÊNCIA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – TRABALHA MAIS COM AS DIFERENÇAS ENTRE AS EMPRESAS DO QUE COM AS SEMELHANÇAS ENTRE SI. – DIFICULDADE DE IDENTIFICAR A MUDANÇA MAIS SIGNIFICATIVA. – DIFICULDADE DE IDENTIFICAR FREQUÊNCIA, VELOCIDADE E INTENSIDADE DAS MUDANÇAS. – DIFICULDADE DE IDENTIFICAR E INTERLIGAR VARIÁVEIS EXTERNAS DE INFLUÊNCIA. – DIFICULDADE DE INTERAGIR ESTRUTURA DE PODER VERSUS VARIÁVEIS EXTERNAS. – DIFICULDADE DE AVALIAR OS DESEMPENHOS GLOBAIS E PARCIAIS DAS EMPRESAS. – DIFICULDADE EM SE CONSOLIDAR UM PROCESSO DE MUDANÇA. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

63

ESCOLA MODERNA – RAZÕES DO SURGIMENTO – – NOVO CONTEXTO COMPETITIVO, TANTO ENTRE EMPRESAS COMO ENTRE NAÇÕES.

– MUDANÇAS NOS COMPORTAMENTOS E NAS NECESSIDADES DAS PESSOAS.

– DESENVOLVIMENTO DE NOVOS MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO DAS EMPRESAS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

64

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO POR PROCESSOS – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO –

– PLENA ESTRUTURAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO OTIMIZADA DO PROCESSO DECISÓRIO NAS EMPRESAS. – DIRECIONAMENTO ÀS EXPECTATIVAS E NECESSIDADES DOS CLIENTES. – EFETIVA BUSCA DA EFICÁCIA EMPRESARIAL. – CONSOLIDAÇÃO DO MODELO JAPONÊS DE ADMINISTRAÇÃO. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

65

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO POR PROCESSOS – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS – 1 – DESENHO DE PROCESSOS. 2 – DEPARTAMENTALIZAÇÃO POR PROCESSOS. 3 – QUALIDADE TOTAL. 4 – LOGÍSTICA. 5 – REDE DE INTEGRAÇÃO ENTRE EMPRESAS. 6 – REENGENHARIA. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

66

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO POR PROCESSOS – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS –

– DIFICULDADE EM SE ESTRUTURAR PROCESSOS QUE PROPORCIONEM RESULTADOS EFETIVOS.

– DESCRENÇA EM PROCESSOS POR MODISMOS MAL APLICADOS PELAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

67

TEORIA DA EXCELÊNCIA ADMINISTRATIVA – CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA DA ADMINISTRAÇÃO – – Tornar a otimizada administração das empresas como algo plenamente estruturado, lógico e disponível. – Consolidação de um processo administrativo ágil, sustentado e focado nas pessoas. – Maior facilidade de aprendizado e de aplicação dos ensinamentos administrativos. – Consolidar uma interação entre os conhecimentos de administração e os acontecimentos – e indícios de acontecimentos – nas empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

68

TEORIA DA EXCELÊNCIA ADMINISTRATIVA – INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS – 1 – ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA. 2 – ADMINISTRAÇÃO VIRTUAL. 3 – EMPREENDEDORISMO. 4 – RESPONSABILIDADE SOCIAL 5 – ÉTICA. 6 – GOVERNANÇA CORPORATIVA. 7 – ADMINISTRAÇÃO DO CONHECIMENTO. 8 – ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

69

TEORIA DA EXCELÊNCIA ADMINISTRATIVA – PRINCIPAIS CRÍTICAS RECEBIDAS – – Dificuldade em aplicar benchmarking. – Dificuldade em estruturar e, principalmente, operacionalizar otimizados modelos de administração. – Falta de planos de aprendizado e de administração do conhecimento. – Dificuldade, e falta de interesse, em se disseminar conhecimentos.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

70

TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO – Abordagem predominantemente comportamental. – Consolidação da administração do conhecimento. – Maior interação entre os instrumentos administrativos das empresas. – Divisão dos sistemas e processos administrativos em partes. – Definição dos papéis dos profissionais das empresas. – Alteração de determinados cargos e funções. – Necessidade de maior comprometimento para com os resultados esperados. – Maior interação teoria versus prática. – Universalização da administração. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

71

ORIGENS, TEORIAS E TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO – QUESTÕES PARA DEBATE – 1 – Debater o conceito do termo administração. 2 – Debater o conceito e a amplitude do termo Teoria da Administração. 3 – Debater o significado e a abrangência do termo empresa. 4 – Debater, para o seu caso, a amplitude do conceito de administrador. 5 – Debater os vários eventos inerentes às origens e à consolidação da administração pelas empresas em geral. 6 – Para a questão anterior, estabelecer, com justificativas, uma ordem de importância para os diversos eventos administrativos identificados no Quadro 1.1. 7 – Debater as contribuições das 13 teorias da administração apresentadas na seção 1.4. 8 – Debater as tendências da administração. 9 – Identificar outras tendências da administração e estabelecer uma hierarquia de importância para todas as tendências analisadas. 10 – Com base em seu entendimento do conteúdo do capítulo, apresentar suas considerações a respeito da importância do conhecimento da administração para as empresas em geral e, principalmente, para a sua vida profissional. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

72

ESTRUTURA DO LIVRO Capítulo 1 Origens, teorias e tendências da administração

Capítulo 2

Capítulo 3

Funções da administração

Funções das empresas

Capítulo 4 Atuação do profissional de administração

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

73

CAPÍTULO 2

FUNÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

74

FUNÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO – CONCEITO E COMPONENTES – 1 – CONCEITO: Atividades que devem ser desempenhadas em todo e qualquer processo administrativo nas empresas e por cada uma de suas unidades organizacionais. 2 – COMPONENTES:

Planejamento

Organização

Direção

Gestão das pessoas

Avaliação Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

75

PLANEJAMENTO – CONCEITO –

Função da administração que permite diagnosticar e analisar situações atuais, de estabelecer resultados – objetivos e metas – a serem alcançados pelas empresas e de delinear ações – estratégias – para se alcançar estes resultados, bem como de leis e normas – políticas – que servem de sustentação a este procedimento administrativo.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

76

FUNÇÃO PLANEJAMENTO – ORIGENS – Idealizador

Ano

Principais contribuições

Alfred Chandler Jr.

1962

• Alinhou a estrutura organizacional e as estratégias das empresas com seus planejamentos estratégicos.

Richard Cyert e James March

1963

• Estabeleceram que os objetivos das empresas correspondem, diretamente, aos objetivos pessoais do proprietário ou principal executivo da empresa.

Kenneth Roland

1963

• Estruturaram as análises externas e internas das empresas.

Peter Drucker

1964

• Consolidou a administração por objetivos e a importância da alta administração e da negociação entre os diversos executivos da empresa.

Igor Ansoff

1965

• Estruturou e consolidou a importância da estratégia corporativa e da sinergia entre negócios.

Michael Porter

1980

• Estruturou empresas.

Kenichi Ohmae

1982

• Fortaleceu a questão da vantagem competitiva das empresas e criou o conceito de pensamento estratégico.

Andrews

e

Carl

a

análise

e

o

estabelecimento

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

das

vantagens

competitivas

das

77

CONCEITOS BÁSICOS 1 – Planejamento estratégico: Metodologia administrativa que proporciona sustentação para se estabelecer a melhor direção a ser seguida pela empresa, visando ao otimizado grau de interação com os fatores externos – não controláveis – e atuando de forma inovadora e diferenciada.

2 – Planejamento tático: Metodologia administrativa que tem por finalidade otimizar determinada área de resultado da empresa.

3 – Planejamento operacional: Formalização das metodologias de desenvolvimento e de implementação de resultados específicos a serem alcançados pelas áreas funcionais da empresa.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

78

FUNÇÃO PLANEJAMENTO – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS – – Estruturação adequada da área responsável. – Conhecimento da importância e da metodologia de desenvolvimento e implementação. – Preparação do terreno para o planejamento. – Adequação à realidade atual e à expectativa futura. – Otimizado nível de envolvimento dos profissionais. – Disseminação das informações. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

79

FUNÇÃO PLANEJAMENTO – TENDÊNCIAS – – Aumento da abrangência da função planejamento nas empresas.

– Contribuição direta para o desenvolvimento e consolidação de novos modelos de administração das empresas.

– Geração de novos instrumentos administrativos filhotes da função planejamento nas empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

80

ORGANIZAÇÃO – CONCEITO –

FUNÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO QUE ORIENTA A CAPACIDADE DE ORDENAÇÃO, ESTRUTURAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE UM SISTEMA, DE UM PROJETO, DE UM TRABALHO E DOS RECURSOS ALOCADOS, VISANDO ALCANÇAR OS RESULTADOS ESTABELECIDOS PELA FUNÇÃO PLANEJAMENTO DAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

81

O&M – PARTES INTEGRANTES –

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

82

FUNÇÃO ORGANIZAÇÃO – ORIGENS – Teorias da Administração

Período básico

Contribuições para a organização das empresas

1. Administração Científica 1.1 Frederick Taylor

1903

• Redesenhou o processo dos trabalhos e mudou a atitude dos trabalhadores, melhorando a produtividade.

1.2 Henry Ford

Início do século XX

• Estudou a especialização dos trabalhadores.

Década de 1910

• Estabeleceu as atividades do processo administrativo (planejamento, organização, comando, coordenação e controle). • Definiu o papel do dirigente. • Consolidou a divisão do trabalho entre as áreas das empresas. • Estabeleceu os primórdios da autoridade e da responsabilidade. • Consolidou as unidades de comando e de direção. • Analisou a questão da centralização e da descentralização. • Estruturou a cadeia de comando. • Incentivou o espírito de equipe.

Década de 1920

• Estabeleceu que as empresas que têm normas – ou leis ou políticas – são as mais produtivas. • Consolidou a autoridade formal (baseada nas leis, normas e políticas).

Década de 1930

• Estabeleceu que a qualidade da supervisão e dos relacionamentos com empregados melhora a produtividade. • A média administração deve otimizar a ligação entre alta e baixa administração. • Os trabalhos em equipes são importantes.

Final da década de 1930

• Consolidou a análise de toda a empresa e de cada uma de suas partes de forma interligada. • Deve ter sido a mais forte contribuição para toda a moderna análise da departamentalização das empresas.

1955

• Consolidou a administração voltada para resultados e com avaliação de desempenho das pessoas.

6.1 Peter Senge

Meados da década de 1970

• As empresas devem aprender a lidar com a mudança contínua, a qual é básica para a evolução da estrutura organizacional.

7. Administração virtual

Década de 1990

• Contribuiu diretamente para a estruturação em rede de empresas.

8. Administração do conhecimento

Início do século XXI (consolidação)

• Corresponde ao principal aspecto da evolução das estruturações organizacionais.

1.3 Henri Fayol

2. Burocracia 2.1 Max Weber 3. Relações Humanas 3.1 Elton Mayo 4. Pensamento sistêmico 4.1 Ludwig von Bertalanffy 5. Administração por objetivos 5.1 Peter Drucker 6. Aprendizagem organizacional

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

83

ESTRUTURAÇÕES ORGANIZACIONAIS TRADICIONAIS – TIPOS E VANTAGENS – 1 – Funcional: Separação das áreas da empresa por especialização do trabalho ou áreas funcionais (marketing, produção, finanças, logística, qualidade). 2 – Territorial: Melhor conhecimento e consequente atuação em regiões ou locais específicos. 3 – Por clientes: Conhecimento específico e a possibilidade de tirar proveito das condições de grupos de clientes bem definidos. 4 – Por produtos ou serviços: Maior facilidade de colocação – e venda – dos produtos e serviços da empresa nos diversos segmentos do mercado. 5 – Por projetos: Melhor atuação da equipe de trabalho, atendimento dos clientes e cumprimento dos prazos e orçamentos. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

84

PROJETO – CONCEITO –

TRABALHO COM DATAS DE INÍCIO E DE TÉRMINO, COM RESULTADO FINAL PREVIAMENTE ESTABELECIDO, EM QUE SÃO ALOCADOS E ADMINISTRADOS OS RECURSOS, SOB A RESPONSABILIDADE DE UM COORDENADOR.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

85

ESTRUTURAÇÕES ORGANIZACIONAIS TRADICIONAIS – ORGANOGRAMA – Presidência

Assessoria financeira

Diretoria de marketing Clientes empresas do governo Clientes empresas privadas

Assessoria administrativa

Diretoria de produção

Produtos tecnológicos

Fábrica região norte

Fábrica região sul

Produtos de consumo

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

Diretoria de desenvolvimento

Projeto 1 Projeto 2 Projeto 3

86

DEPARTAMENTALIZAÇÃO MATRICIAL – ORGANOGRAMA – Diretoria

Coordenação de Projetos

Consultoria em Planejamento

Consultoria em Organização

Consultoria em Gestão de Pessoas

Equipe técnica e recursos tecnológicos, financeiros, materiais e equipamentos

Equipe técnica e recursos tecnológicos, financeiros, materiais e equipamentos

Equipe técnica e recursos tecnológicos, financeiros, materiais e equipamentos

Projeto A

Projeto B

Projeto C

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

87

UNIDADE ESTRATÉGICA DE NEGÓCIO – ORGANOGRAMA –

Presidência

Divisão Incorporação

Divisão Terraplenagem

Divisão Construção

Divisão Comercialização

Divisão Administrativa e Financeira

UENs

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

88

DEPARTAMENTALIZAÇÃO POR PROCESSOS – CONCEITO E ORGANOGRAMA – PROCESSO: CONJUNTO ESTRUTURADO DE ATIVIDADES SEQUENCIAIS QUE APRESENTAM RELAÇÃO LÓGICA ENTRE SI, COM A FINALIDADE DE ATENDER ÀS NECESSIDADES DOS CLIENTES INTERNOS E EXTERNOS DAS EMPRESAS.

Seção de preparação

Seção de corte

Seção de estamparia

Seção de prémontagem

Seção de montagem

Seção de embalagem

Evolução do processo

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

89

REDE DE INTEGRAÇÃO ENTRE EMPRESAS – REPRESENTAÇÃO GRÁFICA –

Fazendas de soja

Empresa de produção de óleo de soja

Empresa de logística (vendas e distribuição)

Supermercados

Empresa de embalagem

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

90

GOVERNANÇA CORPORATIVA – ORGANOGRAMA –

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

91

FUNÇÃO ORGANIZAÇÃO – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS (1/2) – • TER UMA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO E IMPLEMENTAÇÃO. • CONSOLIDAR A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL COMO FATOR DE SUSTENTAÇÃO PARA A EMPRESA ALCANÇAR OS OBJETIVOS ESTABELECIDOS. • ESTABELECER AS INTERLIGAÇÕES ENTRE AS ATIVIDADES DAS DIVERSAS UNIDADES ORGANIZACIONAIS. • ESTABELECER CRITÉRIOS E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DAS DIVERSAS UNIDADES ORGANIZACIONAIS. • INTERLIGAR A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL COM OS OUTROS INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS DA EMPRESA. • TER EFETIVO CONHECIMENTO E ENTENDIMENTO DO TERMO, DA ABORDAGEM E DA AMPLITUDE. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

92

FUNÇÃO ORGANIZAÇÃO – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS (2/2) – • COMEÇAR O MAIS CEDO POSSÍVEL. • DEIXAR OS CLIENTES E OS FORNECEDORES INFLUENCIAREM O DELINEAMENTO DA ESTRUTURA. • FOCAR A ESTRUTURA TAMBÉM PARA NEGÓCIOS FUTUROS. • TRABALHAR COM ESTRUTURAS MAIS HORIZONTALIZADAS. • ACABAR COM AS IGREJAS E DISPUTAS INTERNAS. • TRABALHAR COM O EMPOWERMENT. • TER EFETIVO ENVOLVIMENTO E PATRONOS DA ALTA ADMINISTRAÇÃO. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

93

FUNÇÃO ORGANIZAÇÃO – ALGUMAS TENDÊNCIAS – • OS ESTUDOS E ANÁLISES TERÃO AMPLITUDE CADA VEZ MAIOR. • ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS INTERLIGADAS COM OUTROS INSTRUMENTOS ADMINISTRATIVOS. • ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS MAIS SIMPLES E DE FÁCIL APLICAÇÃO, APESAR DE MAIS AMPLAS E ABRANGENTES. • ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS BASEADAS E SUSTENTADAS PELOS PROFISSIONAIS DAS EMPRESAS. • AUMENTO DAS INFLUÊNCIAS INADEQUADAS DAS POLÍTICAS GOVERNAMENTAIS. • CONSOLIDAÇÃO DE PARCERIAS ENTRE EMPRESAS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

94

GESTÃO DE PESSOAS – CONCEITO –

METODOLOGIA ADMINISTRATIVA QUE PROPORCIONA SUSTENTAÇÃO ÀS OTIMIZADAS COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO, ORIENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS PROFISSIONAIS QUE TRABALHAM NAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

95

FUNÇÃO GESTÃO DE PESSOAS – ORIGENS – (1/2) Idealizador

Ano

Principal contribuição

Elton Mayo

1932

• Criou a Teoria das Relações Humanas, que foi o foco básico do início dos estudos inerentes à gestão de pessoas.

Ordway Tead

1935

• Correlacionou as interações entre: – administração democrática e liderança; e – autoridade e poder pessoal.

Kurt Lewin

1939

• Analisou a influência da liderança sobre o comportamento dos grupos de trabalho. • Foi precursor da dinâmica de grupo. • Coordenou os estudos de tipos de liderança: – autoritária (decisões do líder); – liberal (líder não interfere nas decisões do grupo); e – democrática (decisões são do grupo). • Reconheceu a existência de grupos formais e informais.

Mary Follet

1942 (ano de consolidação de suas ideias, pois ela morreu em 1933)

• Colocou a autoridade como parte do processo e da dinâmica empresarial. • Fortaleceu o conceito de liderança pelas melhores relações interpessoais, entre chefes e subordinados. • Criou a “lei decisória situacional”, em que as realidades do momento influenciam a decisão tomada.

Richard Beckhard

1945

• Criador do termo desenvolvimento organizacional e o primeiro a estruturar a ideia. • Coordenou a criação dos grupos de treinamento de sensibilidade para prover feedback aos indivíduos a respeito de suas atuações em situações desestruturadas (trabalhos consolidados em 1959). Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

96

FUNÇÃO GESTÃO DE PESSOAS – ORIGENS – (2/2) Idealizador

Ano

Principal contribuição

Rensis Likert

1946

• Coordenou o desenvolvimento de pesquisa de entrevistas e de feedback, com a finalidade de analisar assuntos diversos junto aos empregados e repassar os resultados aos supervisores e gerentes, visando a melhoria das condições de trabalho (estudo consolidado em 1961).

Abraham Maslow

1954

• Criou o modelo de “hierarquia de necessidades” para explicar as origens da motivação humana (estudo revisto e consolidado em 1970).

Frederick Herzberg (com Bernard Mausner e Barbara Snyderman)

1959

• Estudaram a motivação no trabalho, separando os “fatores de higiene” – que estão fora do controle dos funcionários – e os “fatores de motivação” – que estão sob o controle dos funcionários das empresas. • Também estruturaram o processo de enriquecimento de tarefas, criando situações mais interessantes para os profissionais das empresas.

Chris Argyris

1962

• Interligou a competência interpessoal e a efetividade das empresas. Em 1968, estudou o aprendizado profissional e sua influência nos processos de mudanças nas empresas.

Warren Bennis

1966

• Analisou os efeitos das mudanças rápidas e inesperadas nas empresas. • Analisou a administração das empresas no futuro, recebendo influências do ambiente, das características da comunidade, dos valores de trabalho, das tarefas, dos objetivos, da estrutura organizacional e do nível motivacional. (Trabalho concluído em 1973).

Paul Hersey e Kenneth Blanchard

1972

• Criaram a liderança situacional, em que cada caso é um caso.

William Ouchi

1982

• Estabeleceu a “Teoria Z”, pela qual o envolvimento e participação são a chave do aumento da produtividade. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

97

GESTÃO DE PESSOAS – ABORDAGENS –

1 – Mudanças planejadas nas empresas. 2 – Liderança. 3 – Equipes multidisciplinares. 4 – Administração do conhecimento.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

98

ICEBERG ORGANIZACIONAL

A empresa visível

Nível de influência da intervenção do desenvolvimento organizacional

A empresa não visível

Com po ne ntes vi síveis: • Estrutura organizacional • Denominação e descrição de cargos • Rede de autoridade formal • Alcance do controle e níveis empresariais • Objetivos estratégicos • Políticas e procedimentos operacionais • Planejamento e sistema de informação • Políticas e procedimentos referentes ao pessoal • Unidades de mensuração referentes à produtividade física e monetária

Com po ne ntes não visíveis: • Padrões de poder crescente e de influência • Visão pessoal das competências empresariais e individuais • Padrões de equipes interpessoais e de relações divisionais • Sentimento e normas das equipes de trabalho • Percepção da existência de relacionamentos de confiança, de abertura e de comportamentos relativos à aceitação de riscos • Percepção do papel individual e dos sistemas de valores • Sentimentos emocionais, necessidades e desejos • Relacionamento afetivo entre executivos e funcionários • Unidades de medida para contabilização dos recursos humanos

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

Esses componentes são claramente observáveis, geralmente racionais, provenientes de conhecimentos e orientados para considerações atinentes às tarefas

Esses componentes não são geralmente visíveis, sendo emocionalmente criados e orientados tendo em vista o clima geral e o processo social, psicológico e comportamental da empresa

99

FUNÇÃO GESTÃO DE PESSOAS – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS –

• Os profissionais das empresas devem pegar esta bandeira. • Os proprietários e principais executivos só acreditam a partir de resultados efetivos.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

100

FUNÇÃO GESTÃO DE PESSOAS – TENDÊNCIAS – • As pessoas – profissionais das empresas – serão, cada vez mais, o foco básico de todas as questões administrativas nas empresas. • As pessoas serão forçadas, cada vez mais, a saber trabalhar em situações de constantes mudanças. • Os conhecimentos – profundos e diferenciados – serão o principal fator de sustentação para o surgimento de fortes lideranças nas empresas. • Os colegas de trabalho podem representar uma rápida fonte de aprendizado e de melhoria do conhecimento administrativo. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

101

DIREÇÃO – CONCEITO –

FUNÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO DAS EMPRESAS QUE CUIDA DA CAPACIDADE E HABILIDADE DE SE SUPERVISIONAR E ORIENTAR OS RECURSOS – HUMANOS, FINANCEIROS, TECNOLÓGICOS, MATERIAIS, EQUIPAMENTOS – ALOCADOS NAS ATIVIDADES DAS EMPRESAS, VISANDO OTIMIZAR O PROCESSO DECISÓRIO DIRECIONADO AO ALCANCE DOS RESULTADOS ESTABELECIDOS NOS PLANEJAMENTOS ANTERIORMENTE ELABORADOS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

102

FUNÇÃO DIREÇÃO – ORIGENS – Idealizadores

Ano

Principal contribuição

Germain Martin (com Philippe Simon)

1946

• Estudaram a atuação dos chefes nas empresas.

Melvin Copeland (com Andrew Towl)

1947

• Analisaram a atuação do conselho de diretores de uma empresa.

Roy Lewis (com Rosemary Stewart)

1958

• Estudaram a atuação do “patrão”.

Harold Leavitt

1964

• Estudou e estruturou a melhor rede de comunicação (de um grupo de 5 pessoas) e identificou os fatores de influência: velocidade, clareza, tipo de tarefa, criatividade, flexibilidade e moral do grupo.

David Emery

1970

• Estudou a atuação mais ampla dos dirigentes de empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

103

FUNÇÃO DIREÇÃO – ABORDAGENS PRINCIPAIS –

• Coordenação.

• Comunicação.

• Processo decisório.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

104

FUNÇÃO DIREÇÃO – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS – • Ter políticas, normas e procedimentos administrativos. • Ter pensamento estratégico. • Ter adequado processo de supervisão. • Ter lideranças. • Ter profissionais motivados para o alcance dos resultados esperados. • Ter profissionais treinados e capacitados. • Ter efetivo sistema de comunicação. • Ter administração participativa. • Ter comprometimento das pessoas. • Ter otimizado processo decisório. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

105

FUNÇÃO DIREÇÃO – TENDÊNCIAS – • O processo diretivo e decisório vai se tornar, cada vez mais participativo. • A competência diretiva e decisória ficará, cada vez mais, transparente nas empresas. • As análises necessárias para o processo diretivo e decisório serão mais amplas e mais complexas. • Os estudos de administração proporcionarão ferramentas matemáticas e da tecnologia da informação de auxílio ao processo diretivo e decisório nas empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

106

FUNÇÃO AVALIAÇÃO – CONCEITO – FUNÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO QUE, MEDIANTE A COMPARAÇÃO COM PADRÕES PREVIAMENTE ESTABELECIDOS, PROCURA MEDIR E AVALIAR O DESEMPENHO E OS RESULTADOS DAS AÇÕES E ESTRATÉGIAS, COM A FINALIDADE DE REALIMENTAR COM INFORMAÇÕES OS TOMADORES DE DECISÕES, DE FORMA QUE POSSAM CORRIGIR OU REFORÇAR ESTE DESEMPENHO, PARA ASSEGURAR QUE OS RESULTADOS ESTABELECIDOS PELOS PLANEJAMENTOS SEJAM ALCANÇADOS. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

107

FUNÇÃO AVALIAÇÃO – ORIGENS – Idealizadores

Ano

Principais contribuições

Charles Wits

1960

• Estabeleceu os princípios de reavaliação do processo de controle e avaliação.

Vladimir Solodovnikov

1960

• Introduziu a análise estatística no sistema automático de controle e avaliação.

Robert Clark

1962

• Aprimorou o sistema automático de controle e avaliação de resultados das empresas.

George Leitmann

1966

• Introduziu o conceito de controle e avaliação otimizados.

Peter Dyer (com Stephen McReynolds)

1970

• Estudaram a computadorização e aprimoraram a teoria da avaliação otimizada.

Alain Bensoussan (com Gerald Hurst e Bertil Näslund)

1974

• Analisaram a administração das aplicações das modernas teorias de controle.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

108

FUNÇÃO AVALIAÇÃO – ABORDAGENS –

• Avaliação de desempenho Procedimento administrativo, baseado em critérios e parâmetros previamente negociados e aceitos pelas partes envolvidas, quanto aos resultados efetivos apresentados pelos profissionais da empresa, em relação aos resultados esperados.

• Indicadores de desempenho Parâmetros e critérios de avaliação, previamente estabelecidos, que permitem a análise da realização, bem como da evolução dos principais resultados das empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

109

FUNÇÃO AVALIAÇÃO – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS – • Ter interação com o sistema de informações. • Consolidar o momento ideal. • Ter interação entre os níveis de avaliação. • Ter consistência no processo. • Administrar as resistências. • Adequar à realidade da empresa. • Considerar a relação custos versus benefícios. • Ter otimizado nível de participação e de envolvimento. • Ter adequado nível de conhecimento pelos envolvidos.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

110

FUNÇÃO AVALIAÇÃO – TENDÊNCIAS –

• Os profissionais aceitarão serem avaliados. • Os sistemas de avaliação terão fortes participação e debates de todos os envolvidos. • Todos devem ser avaliadores e avaliados. • Os resultados das avaliações serão fundamentais para a evolução da empresa e dos seus profissionais.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

111

FUNÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO – QUESTÕES PARA DEBATE – 1. Identificar outras maneiras de estabelecer as funções da administração. 2. Identificar outros estudiosos da administração que contribuíram para o desenvolvimento da função planejamento. 3. Idem quanto à função organização. 4. Idem quanto à função gestão de pessoas. 5. Idem quanto à função direção. 6. Idem quanto à função avaliação. 7. Debater a aplicação da função planejamento pelas empresas. Identificar algumas precauções que devem ser consideradas neste processo. 8. Idem quanto à função organização. 9. Idem quanto à função gestão de pessoas. 10. Idem quanto à função direção. 11. Idem quanto à função avaliação. 12. Debater as possíveis tendências evolutivas das cinco funções da administração, procurando efetuar interligações entre as diversas tendências. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

112

FUNÇÃO AVALIAÇÃO – TENDÊNCIAS – Capítulo 1 Origens, teorias e tendências da administração

Capítulo 2

Capítulo 3

Funções da administração

Funções das empresas

Capítulo 4 Atuação do profissional de administração

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

113

CAPÍTULO 3

FUNÇÕES DAS EMPRESAS

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

114

FUNÇÕES DAS EMPRESAS – CONCEITO E CONTEÚDO – 1 – CONCEITO: Atividades que devem ser desempenhadas pelos conjuntos homogêneos das unidades organizacionais das empresas, tendo em vista otimizar os resultados de seus negócios, produtos e serviços. 2 – CONTEÚDO:

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

115

MARKETING – CONCEITO –

FUNÇÃO DAS EMPRESAS RESPONSÁVEL PELA ANÁLISE, PLANEJAMENTO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS E PROJETOS ESTRUTURADOS, COM A FINALIDADE DE ATENDER – E ATÉ SUPLANTAR – AS NECESSIDADES E EXPECTATIVAS DE SEGMENTOS DE MERCADO, BEM COMO CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTADO DA EMPRESA.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

116

MARKETING – ORIGENS (1/2) – Idealizador

Ano

Principal contribuição

Stankey Payne

1951

• Estruturou o processo de pesquisa, coleta e análise de dados.

Wroe Alderson

1954

• Estudou os canais de distribuição.

Wilbur Schramm

1955

• Realizou estudos da aplicação da propaganda.

Wendell Smith

1956

• Primeiro estudioso da segmentação de mercado como uma estratégia alternativa de marketing.

Robert Ferber

1959

• Consolidou análises matemáticas e estatísticas em pesquisas de mercado.

Peter Drucker

1959

• Alocou a função marketing no processo administrativo das empresas.

Theodore Levitt

1960

• Analisou a miopia em marketing, com foco nos negócios. Em 1965, estudou o ciclo de vida dos produtos e serviços. Seus estudos mostraram que o foco deve ser a satisfação garantida dos clientes, e não vender a qualquer custo.

Harper Boyd Jr. e William Massy

1961

• Estruturaram os primeiros estudos de administração de marketing. Em 1964, Boyd Jr., com Ralph Westfall, estruturaram a pesquisa de mercado.

Thomas Berg (com Abe Shuchman)

1962

• Estruturaram o sistema de canais de distribuição. Trabalho aprimorado em 1962 por Edwin Lewis, com o estabelecimento de estratégias específicas.

Ronald Frank e Paul Green

1962

• Aplicaram a teoria da probabilidade em decisões sobre produtos. Posteriormente, em 1968, estruturaram processos de pesquisa de mercado. Em 1971, Frank, com William Massy, analisaram o modelo de decisão em marketing.

Lester Telser

1962

• Estudou o desenvolvimento das marcas dos produtos.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

117

MARKETING – ORIGENS (2/2) – Idealizador

Ano

Principal contribuição

Karl Tietjen

1963

• Estruturou práticas diversas para o planejamento dos produtos.

Daniel Yankelovich

1964

• Estabeleceu critérios de segmentação de mercado.

Jerome McCarthy

1964

• Estruturou o composto de marketing (4 Ps): produto, preço, praça e promoção.

John Udell

1964

• Realizou estudos da importância dos preços dos produtos e serviços. Ele aprimorou os estudos realizados, em 1957, por Jules Backman.

Marshall Howard

1964

• Analisou as questões legais em marketing.

Gary Steiner

1965

• Analisou a criatividade das pessoas e contribuiu para a evolução do marketing nas empresas. Em 1961, junto com Robert Lavidge, estruturou uma medição dos resultados das propagandas.

Philip Kotler

1967

• Considerado o idealizador da administração de marketing. Popularizou o composto de marketing (4 Ps).

Leo Bogart

1967

• Estabeleceu estratégias de propaganda.

Samuel Smith, Richard Brien e James Stafford

1968

• Estruturaram o sistema de informações de marketing.

James Engel, David Kollat e Roger Blackwell

1968

• Estudaram o comportamento dos consumidores.

Martin Bell

1979

• Estruturou e ampliou o processo de desenvolvimento de novos produtos.

Leonard Berry

1983

• Idealizou o marketing de relacionamento.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

118

MARKETING – PARTES INTEGRANTES – • Propaganda.

• Promoção.

• Ponto-de-venda.

• Formação dos preços de produtos e serviços.

• Marca. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

119

MARKETING – APLICAÇÃO NAS EMPRESAS –

• Consolidação do marketing total. • Ênfase no marketing de relacionamento. • Otimizado tratamento da imagem institucional. • Consolidação da atuação mercadológica com ética e responsabilidade social. • Interligação da função marketing com as funções da administração.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

120

MARKETING – TENDÊNCIAS – • Contribuição direta para a maior proteção dos compradores dos produtos e serviços das empresas.

• Maior busca de qualidade de vida.

• Preços mais adequados.

• Melhoria da qualidade dos produtos e serviços. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

121

PRODUÇÃO – CONCEITO –

FUNÇÃO DAS EMPRESAS QUE CUIDA DA TRANSFORMAÇÃO DOS INSUMOS – MATÉRIAS-PRIMAS, ENERGIAS, INFORMAÇÕES – EM PRODUTOS E SERVIÇOS, UTILIZANDO, DE FORMA ORGANIZADA, OS RECURSOS E OS CONHECIMENTOS DAS EMPRESAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

122

FUNÇÃO PRODUÇÃO – ORIGENS – Idealizadores

Ano

Principais contribuições

Edward Gushée

1928

• Introduziu critérios científicos em processos de compra.

Harmer Davis (com George Troxell e Clement Wiskocil)

1941

• Analisaram os testes e a inspeção em administração de materiais.

Carl Heyel

1968

• Estudou a administração industrial.

Peter Baily e David Farmer

1973

• Aprimoraram o processo de administração de materiais.

Willard Miller

1984

• Estruturou o processo de planejamento da localização das fábricas.

Richard Tersine

1988

• Estruturou os princípios de inventário e de administração de materiais.

Michael Leenders, Harold Fearon e Wilbur England

1989

• Aprimoraram os processos de compras e de administração de materiais.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

123

PRODUÇÃO – PARTES INTEGRANTES – • Programação e controle da produção. • Administração de materiais. • Manutenção dos sistemas de produção. • Localização da fábrica. Outras partes integrantes: • Engenharia do produto. • Desenvolvimento do produto ou serviço. • Especificação do produto ou serviço. • Especificação do processo. • Capacidade produtiva. • Produção enxuta. • Análise e engenharia do valor. • Desdobramento da função qualidade. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

124

PRODUÇÃO – APLICAÇÃO PELAS EMPRESAS –

• Integrar a atividade de produção à logística.

• Otimizar a programação e o controle da produção.

• Utilizar, adequadamente, a tecnologia da informação.

• Interligar a função produção com as funções da administração.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

125

PRODUÇÃO – TENDÊNCIAS – • Evolução no processo de incrementar valor nas transformações dos insumos.

• Aprimoramento das técnicas de programação.

• Aumento do nível de flexibilidade na produção.

• Introdução de elevadas tecnologias no processo produtivo.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

126

DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS – CONCEITO –

FUNÇÃO DAS EMPRESAS DIRECIONADA PARA A EVOLUÇÃO PROFISSIONAL DAS PESSOAS, EM AMBIENTES OTIMIZADOS DE TRABALHO, NA BUSCA DE RESULTADOS COMPARTILHADOS, DESAFIADORES E NEGOCIADOS ANTERIORMENTE.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

127

FUNÇÃO DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS – ORIGENS – Idealizador

Ano

Principal contribuição

Morris Viteles

1932

• Estudou a psicologia industrial.

Kurt Lewin

1936

• Estudou a interação entre psicologia e personalidade administrativa nas empresas.

John Dewey

1939

• Estudou a inteligência humana e a criatividade nas empresas.

Elliott Jaques

1951

• Estudou a dinâmica de grupos em ambientes de trabalho nas empresas.

Edith Penrose

1959

• Analisou a influência do estilo inovador no processo de crescimento das empresas.

Dorwin Cartwright e Frederick Zander

1959

• Estudaram a questão do poder no estilo administrativo das pessoas, principalmente trabalhando em grupos (trabalhos iniciados em 1953). Em 1968, eles aprimoraram os estudos da dinâmica de grupos.

Edgar Schein

1965

• Contribuiu com estudos da psicologia industrial, como sustentação da liderança e da cultura nas empresas. • Estruturou a consultoria de procedimentos em processos de mudanças nas empresas.

Alan Filley e Robert Houser

1969

• Estudaram o clima e o comportamento organizacionais.

Gifford Pinchot

1985

• Criou o termo intrapreneur ou empreendedor interno (funcionário). Este termo se consolidou amplamente a partir de 1989.

Alan Cowling e Chloe Mailer

1992

• Contribuíram com estudos inerentes à gestão e ao desenvolvimento das pessoas nas empresas.

Thomas Zimmerer e Norman Scarborough

1994

• Estudaram o empreendedorismo e os planos de negócios, principalmente para pequenas empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

128

FUNÇÃO DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS – PARTES INTEGRANTES – 1 – Criatividade. 2 – Clima organizacional. 3 – Estilo administrativo. 4 – Psicologia empresarial. 5 – Dinâmica de grupo. 6 – Empreendedorismo. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

129

DINÂMICA DE GRUPO – FATORES DE INFLUÊNCIA – Interação e relacionamento

Proximidade entre as pessoas

Interesses comuns Boa vontade

Dinâmica de grupo Tamanho adequado

Bom senso e consenso Comunicação e informações estruturadas e disseminadas

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

130

DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS – APLICAÇÃO PELAS EMPRESAS –

• Acreditar nas pessoas.

• Consolidar o foco da administração nas pessoas.

• Interligar o desenvolvimento das pessoas com as funções da administração.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

131

DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS – TENDÊNCIAS –

• A criatividade será, cada vez mais, incentivada nas empresas.

• Maior e mais amplo debate do estilo administrativo.

• O empreendedorismo, principalmente o interno, será, cada vez mais, privilegiado pelas empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

132

FINANÇAS – CONCEITO –

FUNÇÃO DAS EMPRESAS QUE CUIDA DA ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS ECONÔMICOS – PATRIMONIAIS – E FINANCEIROS DAS EMPRESAS, COM A FINALIDADE DE MAXIMIZAR O SEU VALOR DE MERCADO E A REMUNERAÇÃO DE SEUS ACIONISTAS.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

133

FUNÇÃO FINANÇAS – ORIGENS – Idealizador

Ano

Principal contribuição

Giovani Rossi

1895

• Estruturou o método da “partida dobrada” na contabilidade.

Arthur Dewing

1920

• Estabeleceu o campo de estudo das finanças e influenciou o pensamento administrativo-financeiro nas décadas seguintes.

James McKinsey

1922

• Estruturou o controle orçamentário.

Charles Schlatter

1927

• Estudou os princípios da contabilidade de custos.

Frederico Herrmann Júnior

1934

• Consolidou vários estudos para o desenvolvimento da contabilidade no Brasil.

Paul Bacas, John Madden e Arthur Rosenkampff

1937

• Estruturaram procedimentos de auditoria.

John Blocker

1940

• Estudou a contabilidade de custos.

Floyd Rowland e William Harr

1945

• Analisaram a administração do controle orçamentário.

James March

1949

• Contribuiu para o aprimoramento da contabilidade de custos, sendo que seus trabalhos se iniciaram em 1905.

James Healey

1956

• Contribuiu para a análise e o controle orçamentário.

Glenn Welsch

1957

• Estruturou o orçamento empresarial.

Isaac Keller

1957

• Interligou a administração contábil com o controle de custos.

Peter Pyhrr

1973

• Estruturou o orçamento “base-zero”, o qual foi aprimorado, em 1977, por Joseph Hebert.

Franklin Plewa e George Friedlob

1995

• Aprimoraram o sistema de fluxo de caixa. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

134

FINANÇAS – PARTES INTEGRANTES – • Controladoria. • Contabilidade geral. • Contabilidade gerencial. • Orçamento. • Custos. • Tesouraria. • Análise de viabilidade. Outras partes integrantes: • Análise de financiamentos. • Distribuição de dividendos. • Emissão de títulos. • Empréstimos de terceiros. • Plano de negócios. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

135

FINANÇAS – APLICAÇÃO PELAS EMPRESAS –

• Consolidar o modelo de finanças totais nas empresas.

• Consolidar a função finanças como o foco catalisador das informações.

• Interligar a função finanças com as funções da administração.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

136

FINANÇAS – TENDÊNCIAS –

• Maior utilização da parte mais sofisticada das finanças.

• Ser o centro nervoso dos processos de planejamento e de avaliação nas empresas.

• O executivo financeiro será cada vez mais valorizado pelas empresas.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

137

PROCESSOS E TECNOLOGIA – CONCEITOS – 1 – Processos e tecnologia: Função das empresas que aborda as atividades que devem ser realizadas e os conhecimentos necessários para atender todos os clientes – externos e internos, atuais e potenciais – das empresas. 2 – Processo: Conjunto estruturado de atividades sequenciais que apresentam relação lógica entre si, com a finalidade de atender e, preferencialmente, suplantar as necessidades e as expectativas dos clientes externos e internos das empresas. 3 – Tecnologia: Conjunto de conhecimentos que são utilizados para operacionalizar as atividades da empresa, para que seus objetivos possam ser alcançados.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

138

FUNÇÃO PROCESSOS E TECNOLOGIA – ORIGENS (1/2) – Idealizador

Ano

Principal contribuição

Walter Shewhart

1924

• Idealizou e estruturou a aplicação da estatística ao processo de controle de qualidade (Estudos consolidados em 1931).

William Deming

1951

• Estabeleceu os princípios da qualidade. • Enfatizou o “fazer certo da primeira vez”. • Estruturou o processo de qualidade desde os fornecedores até o cliente final.

Joseph Juran

1951

• Consolidou a análise dos custos da qualidade: – inevitáveis (preventivos): inspeção, amostragem. – evitáveis (defeitos e falhas): material refugado, horas de retrabalho, análise de reclamações. • Em 1974, estruturou a trilogia da qualidade (planejamento, controle e aprimoramento).

Armand Feigenbaum

1956

• Idealizou e estruturou o Controle de Qualidade Total (TQC – Total Quality Control). Os estudos foram consolidados em 1961. • Antes, em 1951, correlacionou a idéia de qualidade dos produtos em nível de valor proporcionado aos compradores.

Karl Steinbuch

1957

• Criou o termo informática, representando o processamento da informação.

George Boehm e Thomas Budne

1961

• Estruturaram a engenharia da confiabilidade, sustentada pela teoria das probabilidades e pela estatística, visando garantir desempenho adequado ao longo do tempo. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

139

FUNÇÃO PROCESSOS E TECNOLOGIA – ORIGENS (2/2) – Idealizador

Ano

Principal contribuição

James Halpin

1962

• Consolidou a aplicação do princípio do “zero defeito”. Esta questão foi otimizada por Philip Crosby em 1979.

Kaoru Ishikawa

1985

• Consolidou os “círculos da qualidade” e os diagramas “espinha de peixe”, aprimorando os estudos de qualidade total.

Genichi Taguchi

1986

• Enfatizou que os produtos devem ser “fortes”, para assimilar, sem perda de qualidade, possíveis variações na linha de produção ou em sua utilização pelos compradores.

Michael Hammer e James Champy

1993

• Idealizaram e estruturaram o conceito de reengenharia.

Raymond Manganelli e Mark Klein

1994

• Correlacionaram a reengenharia com a administração da qualidade total.

1994

• Estudou a reengenharia no contexto dos processos de negócios e de forma interligada com a administração do conhecimento e da informação, melhorando a análise competitiva das empresas.

Thomas Davenport

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

140

PROCESSOS E TECNOLOGIA – PARTES INTEGRANTES –

1 – Desenho de processos.

2 – Qualidade total.

3 – Logística.

4 – Tecnologia da informação.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

141

PROCESSOS E TECNOLOGIA – APLICAÇÃO PELAS EMPRESAS (1/2) – • Preparar a empresa para o crescimento. • Focar a totalidade do negócio. • Ter visão de conjunto do processo de mudanças. • Conhecer e interagir com os diversos grupos de interesse. • Ter expectativas realísticas dos processos e da tecnologia aplicada. • Ter foco em prioridades estabelecidas. • Ter foco nos processos e na tecnologia aplicada, e não nas funções administrativas. • Contemplar tecnologias e processos que proporcionem valor agregado. • Ter interação entre os processos e as estratégias. • Ter políticas adequadas. • Não ter timidez na aplicação dos processos e das tecnologias. • Não gastar muito tempo e energia em levantamentos e análises. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

142

PROCESSOS E TECNOLOGIA – APLICAÇÃO PELAS EMPRESAS (2/2) – • Não ir na onda do fracasso intelectual. • Ter administração sobre a estrutura do poder. • Não ter pensamento viciado. • Não esperar transformações revolucionárias e a curto prazo. • Ter transferência dos conhecimentos e tecnologias. • Ter padrinhos das competências da empresa. • Ter profissionais com dedicação adequada. • Ter efetivo e ágil processo de comunicação e de disseminação. • Ter efetivo comprometimento. • Mobilizar os funcionários a aceitar as mudanças. • Ter adequado clima organizacional. • Ter interligação dos processos e da tecnologia com as funções de administração. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

143

PROCESSOS E TECNOLOGIA – TENDÊNCIAS – • Estruturação de metodologias e técnicas amplas, completas e interligadas para o desenvolvimento e a operacionalização das atividades administrativas das empresas.

• Consolidação de um novo perfil de executivos.

• Aumento da flexibilidade empresarial.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

144

FUNÇÕES DAS EMPRESAS – QUESTÕES PARA DEBATE – 1. Debater as origens da função marketing, bem como pesquisar outros estudiosos do assunto, que tenham contribuído para o seu desenvolvimento. 2. Idem para a função produção. 3. Idem para a função desenvolvimento de pessoas. 4. Idem para a função finanças. 5. Idem para a função processos e tecnologia. 6. Procurar interligar algumas partes integrantes de diferentes funções das empresas apresentadas neste capítulo. 7. Identificar mais duas funções das empresas. Justificar a resposta. 8. Debater a aplicação prática de cada uma das funções das empresas apresentadas neste capítulo, bem como das identificadas por você. 9. Identificar mais uma possível tendência de evolução inerente a cada uma das funções das empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

145

ESTRUTURA DO LIVRO Capítulo 1 Origens, teorias e tendências da administração

Capítulo 2

Capítulo 3

Funções da administração

Funções das empresas

Capítulo 4 Atuação do profissional de administração

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

146

CAPÍTULO 4

ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ADMINISTRAÇÃO

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

147

ADMINISTRADOR – CONCEITO –

PROFISSIONAL QUE OTIMIZA OS RESULTADOS DAS EMPRESAS, PELA ATUAÇÃO, INDIVIDUAL OU COLETIVA, DAS PESSOAS QUE TRABALHAM SOB A SUA ORIENTAÇÃO.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

148

ADMINISTRADOR – RESPONSABILIDADES – • Obter os resultados esperados por meio da atuação das pessoas. • Estabelecer prioridades. • Interligar as atividades exercidas pelas empresas. • Ter bom senso e, se possível, obter consenso. • Saber fazer acontecer. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

149

ADMINISTRADOR – PERFIL IDEAL – – Formação humanística. – Visão global. – Capacitação e habilidade. – Conhecimentos essenciais. – Autodesenvolvimento. – Valores éticos e morais. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

150

CONHECIMENTOS DO ADMINISTRADOR • Ter conhecimento de administração. • Ser generalista, com forte especialização. • Fazer parte do mundo. • Estar voltado para o processo de inovação. • Saber administrar o tempo. • Ser ético. • Desenvolver situações alternativas interessantes.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

151

HABILIDADES DO ADMINISTRADOR • Ter atitude interativa perante as diversas situações que as empresas colocam a sua frente. • Ter adequado relacionamento com as pessoas. • Saber trabalhar com erros. • Ter adequado processo de autoavaliação. • Ser um agente de mudanças. • Ter intuição. • Saber trabalhar em equipes. • Ter capacidade de resolver conflitos. • Saber acompanhar a evolução da administração. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

152

ATUAÇÃO DO ADMINISTRADOR – TENDÊNCIAS –

• Conhecimentos e habilidades serão, cada vez mais, amplos e interligados.

• Todos os profissionais de sucesso das empresas serão chamados de administradores.

• Atuação extrapolará a realidade da empresa.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

153

ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ADMINISTRAÇÃO – QUESTÕES PARA DEBATE – 1 – Pesquisar e identificar outros eventos que contribuíram para o desenvolvimento da função de administrador. 2 – Debater as responsabilidades do administrador. Identificar outras responsabilidades. 3 – Debater o perfil de atuação do administrador. 4 – Debater os conhecimentos e habilidades do administrador de empresas. 5 – Identificar e debater outros conhecimentos e habilidades importantes para o administrador de empresas. 6 – Debater as tendências de evolução da atuação do administrador de empresas. Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira Introdução à Administração – Edição Compacta

154

View more...

Comments

Copyright © 2017 KUPDF Inc.
SUPPORT KUPDF